Desenvolvimento Urbano e Regional
Engenharia de Tráfego
Transportes Coletivos
Mobilidade Sustentável
Energia e Ambiente
Logistica
Economia de Transportes
Regulação e Políticas
Inovação
   
 
 

 
Economia de Transportes

Compreendemos o negócio

As actividades ligadas ao transporte de pessoas e bens envolvem sistematicamente esforços financeiros relevantes para o estado ou empresas privadas.

A visão integrada da TIS, permite apoiar as organizações a compreender os riscos e oportunidades do negócio, possibilitando a tomada de decisão suportada em conhecimento.




Transporte Coletivo - Estudos de Viabilidade
Ao longo dos últimos anos, a TIS acumulou uma vasta experiência na realização de estudos de viabilidade de linhas e sistemas de transporte coletivo, cobrindo os modos elétrico, metro e autocarro.



Modelação de Transporte - Carteira de Serviços
Em Portugal a TIS é líder de mercado na área dos estudos de procura para grandes concessões rodoviárias, tendo uma longa e bem-sucedida experiência na relação com os principais concessionários de auto-estradas.



Simulação e Análise
Ao nível nacional a TIS é reconhecida como líder na área da modelação da procura de transportes a diferentes escalas. Ao longo dos anos, temos vindo a aplicar metodologias de planeamento com elevado enfoque na promoção do transporte sustentável. Fazemos apoio à decisão em grandes projetos de infraestruturas urbanas e regionais cobrindo preferencialmente dois pontos de vista: 1. Avaliação do desempenho da infraestrutura 2. Previsão de procura de tráfego associada às necessidades de transporte.



Previsão da Receita & Avaliação do Risco
Saber lidar com a incerteza dos resultados das estimativas da procura de tráfego é complexo mas fundamental, especialmente quando se trata de receitas de portagem. Em resposta à necessidade de rigor e informação na caracterização do risco, a TIS tem vindo a aplicar metodologias baseadas na simulação estocástica do risco (método de Monte Carlo).



Viabilidade Económica
A atual conjuntura macroeconómica, assim como as mudanças no enquadramento político da mobilidade, levam ao reconhecimento de um novo conjunto de variáveis emergentes relacionadas com fatores ambientais, tecnológicos e políticos.